Moralista


Fiquei aqui comigo mesma pensando .
Uma corrente de ar pela janela .
Algumas letras …
Uma lembrança recente …
E eu concluí .
Sou a pior moralista que existe.
Que mata o amor que vem nascendo…
Que sucumbe ao desejo;
Para então se flagelar .
Tão correta , tão sensata.
Morta , decadente.
Tão desumana.
Quase deusa.
Não preciso mais das penitenciarias.
Nem dos hospícios.
Dos lideres religiosos .
Das acusações;
Não preciso que me apedrejem.
E se quer que me oprimam.
Tão eficiente eu sou;
Possa faze-lo sozinha.
Posso matar com louvor mais um amor .
Uma alegria e qualquer fulgor.
Dos amores errados que não eram para mim.
sempre terminam assim;
Pelo começo ou pelo avesso .

Eu te diria o quanto real você é , se eu não gritasse o tanto que sou e não ainda estivesse tão perdida em mim . Se eu soubesse dos seus defeitos e eles coubessem em mim . Se eu não fosse tão crua, e não mostrasse a pior face que eu tenho a da indiferença . Eu não sei ser sua . Eu não caibo em lugar algum; e não falo de posse mais de pertencimento. Será que há um lugar dentro de alguém ? Eu não me meto em mata fechada . Sou a pior moralista que existe . Me cobro certeza e sentença .

Leticia Calmon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s